• Santa Casa no Facebook

Novembro Azul

Câncer de próstata: a melhor prevenção é o diagnóstico precoce

Apesar de haver fortes indícios de que mudanças na dieta e a prática de exercícios ajudem a reduzir os riscos de desenvolver a doença, a melhor forma de prevenir o prejuízos causados pelo câncer de próstata ainda é o diagnóstico precoce.

Para isso, o indicado é que seja feita um levantamento do perfil de saúde dos beneficiários para identificar os homens que apresentam um ou mais fatores de risco para o câncer (idade, sobrepeso, histórico familiar).

A recomendação é que homens a partir de 50 anos realizem o exame de sangue PSA, que mede a dosagem do antígeno prostático específico, ingrediente do sêmen produzido pela próstata. Quem tiver histórico de câncer na família deve iniciar o acompanhamento mais cedo.

Caso haja alguma alteração no PSA, é indicado o exame de toque retal. Mesmo assim, o diagnóstico definitivo só ocorre após a realização de uma biópsia.

Devido ao preconceito que ainda existe com relação ao exame de toque, ainda há uma certa dificuldade para engajar os homens nas campanhas de prevenção. Assim, é preciso deixar claro que trata-se de um exame rápido (no máximo 15 segundos) e praticamente indolor, que é fundamental para identificar a presença de um tumor.

Todos os homens devem fazer exames de rotina?

As estratégias para a prevenção primária da doença devem envolver todos os homens a partir dos 45 anos. Afinal, não há nenhum prejuízo em estimular a boa alimentação e a prática de atividade física.

Com os exames de rotina a coisa é diferente, por se tratar de uma ação de prevenção secundária. Ou seja: serve para identificar portadores da doença em seus estágios iniciais com o objetivo de aumentar as chances de sucesso de um possível tratamento.

Nesse caso, tanto o Ministério da Saúde quanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomendam que se faça o rastreamento com homens sem sinais ou sintomas da doença. Essa recomendação deve-se ao fato de que estes exames podem trazer tanto benefícios quanto riscos à saúde.

O benefício principal, é claro, está na chance de identificar o câncer de próstata logo no início, evitando que o tumor se desenvolva e chegue a uma fase mais avançada.

Por outro lado, ter um falso resultado indicativo de câncer (que depois é contrariado pela biópsia) pode gerar ansiedade e estresse desnecessário. E como o tratamento pode causar impotência sexual e incontinência urinária, é preciso ter cautela no diagnóstico e acompanhar a evolução do tumor para ter certeza de que ele é realmente necessário.

Fundação Santa Casa de Misericórdia de Franca 2014 © Todos os Direitos Reservados